Sobre o Autor

Felippe Alves

Minha rotina de inspiração para ser mais saudável, criativo e sair constantemente da zona de conforto.

Instagram

  • Contando os dias para cair no mar.  Esse foi um daqueles dias que você não esquece, e pensar que já passaram 7 anos. Engraçado como há espaço para gravar os poucos segundos de uma única onda na memória.  #habitos #natureza #nature #photooftheday #amazing #selfie #cool #foco #motivação #determinação #fitness #healthy #saude  #vidasaudavel #academia #bemestar #surf
  • Posso estar cansado, doente, sem tempo, até de ressaca, mas praticar esportes, mesmo que seja um pulo ali na academia, é fundamental pra manter uma vida de qualidade. 5 vezes na semana no mínimo, preferencialmente todo dia, para mim é remédio e suporte para os maiores desafios.  #habitos #saude #qualidadedevida #vidasaudavel  #photooftheday #amazing #selfie #cool #foco #motivação #determinação #fitness #fitnessblog  #academia #bemestar
  • Um pouco de pé na grama e uma brincadeira dos tempos da adolescência. Ainda sei uns truques na copoeira.  #habitos #natureza #nature #photooftheday #amazing #selfie #cool #foco #motivação #determinação #fitness #healthy #saude  #vidasaudavel #academia #bemestar

Me siga!

Curta no facebook

Relacionamento

4 hábitos essenciais para melhorar relacionamentos

melhorar relacionamento

Nenhum ser humano é  uma ilha. É  essencial  que nos conectemos e compartilhemos mas, precisamos ser sinceros,  dá um trabalho danado viver fora do lado de fora. Há  conflitos por assuntos pequenos  e também em todo ordem de escala. Há tantos conflitos que até anda-se lecionando por aí a Gestão dos mesmos. Competência, julgam as universidades, essencial ao líder moderno. Competência, julgo eu, que vai muito além disso: está nas relações amorosas, na amizade, na família, no bom dia ao motorista do ônibus.

“Estamos aqui para criar vínculos com as pessoas. Fomos concebidos para nos conectar uns com os outros. Esse contato é o que dá propósito e sentido à nossa vida, e, sem ele, sofremos.” Brené Brown

Na vida mais particular, há  uma confusão de sentimentos. Desentendimentos e alegrias lutando para dividir um mesmo lugar no espaço e ao mesmo tempo, uma forçação de barra só. Não me entenda mal, mas há muito mal entendido.  Cultivar um relacionamento saudável nesta montanha  russa que é  conviver se apresenta todo dia como um novo desafio. Para se dar bem neste convívio e ter relacionamentos que tragam mais qualidade em sua vida, alguns hábitos podem fazer toda a diferença. E, o mais importante, eles valem para todos. Hábitos que ajudam qualquer ser humano a assumir seu papel nos relacionamentos e agir para para torná-los melhor.

 

1. Empatia

melhorar relacionamentos

Antes de criticar um homem, caminhe uma milha com seus mocassins, diz um provérbio indígena americano. Troquemos as milhas por quilômetros, os mocassins por sapatos, a mensagem é universal. Praticar empatia nos ajuda a colocar-nos, o máximo possível, no lugar das pessoas com que convivemos. Diferente da simpatia, onde demonstramos nossa solidariedade, a Empatia é a mais profunda forma de conectarmos às dores, manias e problemas que nossos amigos ou cônjuges estão passando.  A pessoa com que você esta se relacionando certamente tem algo em comum com você, provavelmente vocês compartilham de uma visão de mundo similar em determinado assunto. Concordam com a importância do futebol, com a forma de criar filhos, compreendem o cenário do que é viver em determinada profissão, em determinada cidade ou, até mesmo, em determinada família. Mas, obviamente, haverão diferenças. Um gosta mais de uma coisa que o outro, sendo o contrário sempre válido. Mas, basta ter um pouco de empatia, para compreender outras formas de ver o mundo,  ser mais flexível, tolerante e permitindo que a outra pessoa seja ela mesma.

Tenho um conselho infalível para colocar isto em prática: viaje! Conhecer e se conectar com pessoas muito diferentes de você é uma forma bastante eficaz – e divertida- de desenvolver sua empatia. Mas, calma,  não precisa ir tão longe.  Da próxima vez que sua namorada(o) tiver um problema, que seu amigo reclamar de algo, que sua mãe tecer críticas ao seu comportamento, antes de dar de pronto sua visão da coisa, faça um esforcinho para vestir os mocassins deles. Se der, por algumas milhas.

 

2. Tolerância

melhorar relacionamento

Logo de cara pensamos na forma mais radical da intolerância, sorrateira que é, mal percebemos como está presente nas coisas pequenas. A maior parte dos relacionamentos amorosos terminam, em certa medida, por que não aprendemos a seremos tolerantes. Qualquer motivo pode ser suficiente para pularmos fora de algo, sair por aí, vazar, ou, como dizem alguns, ficar “só curtindo”.

“Existe o perigo, afirmam alguns psicólogos, de tentarmos maximizar a qualidade de nossas aquisições românticas, em vez de aceitar imperfeições, e de terminarmos tratando nossos companheiros quase como bens materiais que podemos descartar à vontade.” Roman Kzrnaric

Por que fazemos isto? Porque é mais fácil fugir do que tolerar. Porque queremos sempre o melhor, sem chance para falhas.  Compreender que as pessoas são imperfeitas, que elas certamente falharão em algum ponto com você, e que, da mesma forma, você está ali fazendo o mesmo, ajuda a entender a importância da tolerância. As pessoas erram ( você erra), se desculpam ( você se desculpa) e podem muito bem continuar amigos, amantes, família, numa boa. A tolerância é essencial para convivermos com as imperfeições, com o mau humor esporádico, com as falhas sem intenção e toda sorte de comportamento humano. Só não tolere com os computadores, estes não deveriam falhar!

Mas além dos chips, há outro porém. A tolerância é sadia até o ponto que fere seus valores, seus principais desejos e impactam sua forma de ter uma vida plena. Neste caso, é preciso ser assertivo.

 

3. Assertividade

melhorar relacionamentos

Muitas vezes somos tolerantes e colhemos um frustrante mal estar. Há pessoas que se afastam de coisas que gostam para atender aos desejos das pessoas com que se relaciona. O problema é que a frustração vai crescendo com o tempo, em proporção à tolerância, causando tristeza e possivelmente conflitos já em modo p-da-vida. A solução é ser assertivo, sem deixar de ser empático. Ou seja, posicione-se sobre seus desejos e desconfortos de forma clara mas, ao mesmo tempo, seja tolerante o suficiente para não fazer com ninguém o que não queira que façam com você. Eu sei, não é simples. Esta gangorra precisa se equilibrar,  no final é o bem estar de ambos que importa e não só de um, certo?

Coloque com assertividade o que você deseja em seus relacionamentos, o que te faz bem, e o que não te faz, mesmo que às vezes seja preciso abrir mão de algo que goste. Só sendo sincero sobre seus desejos e vontades é possível ter uma conversa franca e não ficar o tempo todo pisando em ovos, ou adiando de forma praticamente infinita aquele assunto “difícil”. O importante é a negociação, ambas as partes precisam respeitar o bem estar do parceiro, respeitar a pessoa que você escolheu compartilhar seu tempo. Negocie!

Tenha a assertividade como um hábito, pratique. Logo, quem está contigo, vai estar com respeito aos seus gostos e, talvez, não haverão mais ovos para sair pisando por aí.

 

4. Estar bem consigo

mindfulness

Estar bem consigo mesmo é fundamental para se ter relacionamentos saudáveis, sentir-se bom o bastante, capaz e com potência de exercer suas vontades e qualidades só trarão benefícios aos seus relacionamentos.  Caso contrário o relacionamento pode se tornar baseado em inseguranças e construções de dependência.

Uma vez construída a teia da dependência é difícil sair. Peguemos a dependência financeira, por exemplo, ou até mesmo aquela por ciúmes possessivos, o foco da relação naturalmente deixará de ser a empatia e o bem-estar mútuo, se apequenando em desejos egoístas. Com o tempo, a dependência é capaz de mudar totalmente a forma como as pessoas se veem, culminando em términos de relacionamento ou em relacionamentos tóxicos.

Se você se sente dependente é hora de avaliar a situação e se libertar disto. Já no outro lado do campo,  parafraseando aquele velho pagode (desculpe, não consegui evitar a lembrança) é hora de sair das abas alheias.

Cuidar dos relacionamentos  é essencial para uma vida mais gratificante e prazerosa, com conexões reais e saudáveis. Não tenho dúvida que para melhorar a vida, os bons e velhos relacionamentos estarão lá como trampolim para nossos mais cabeludos desafios. Estes quatro hábitos  podem ser grandes aliados neste convívio. E você, tem seus  hábitos para melhorar relacionamentos?

 

Até  a próxima  e melhores hábitos.


Comentários

comments

Sobre o Autor

Felippe Alves

Minha rotina de inspiração para ser mais saudável, criativo e sair constantemente da zona de conforto.